O evangelho segundo Isaías

https://youtu.be/suLnjOBMptg

O Evangelho segundo Isaias
Mario Persona
Li certa vez uma frase de Spurgeon, que foi um pregador inglês muito conhecido no século dezenove, que dizia “quando você for falar de Cristo use uma expressão de alegria, uma face radiante, de prazer, porque Ele é digno que você use a melhor expressão que tiver, a de maior alegria, de maior gozo, e quando for falar das outras coisas, use sua face normal, essa que você já tem”. Ele dizia isso por causa do prazer que existe no coração de quem conhece a Cristo, de falar dele. Tenho certeza que todos os que creem em Cristo como Salvador tem prazer e muita alegria em falar dele, podemos ver a face radiante. Costumamos perceber um crente no Senhor Jesus e que está em comunhão com ele, quando começa a falar de Cristo. Ele muda! A sua expressão torna-se outra, porque a boca fala do que o coração está cheio, diz o apóstolo Paulo em Coríntios.
Mas vamos abrir no Evangelho de Isaias. Sim, Isaias tem um evangelho!
Na realidade, costumamos nos limitar aos quatro já conhecidos, no máximo falamos de um quinto, que seria a carta de Paulo aos romanos, porque é a explicação do Evangelho, que seria como o evangelho de Paulo. Mas na Bíblia temos muitos Evangelhos, que é a mensagem que foi proclamada quando não existíamos, tampouco o mundo ou os planetas. O Evangelho atrás da eternidade. Deus havia separado um Cordeiro para morrer no lugar do pecador que nem mesmo existia, e ali Ele já tinha seu evangelho pronto.
Pensemos no Éden. Temos ali o Evangelho. Quando Adão e Eva caíram em pecado, a primeira ação de Deus foi anunciar o evangelho, uma vez que eles tentaram encobrir o que fizeram, com as folhas de uma figueira. Ou seja, com suas próprias obras, se escondendo no meio das árvores do Jardim – quando os homens pecam, eles costumam se esconder de Deus, entre homens também – árvores nos falam de humanidade. Deus anunciou então, ali, seu evangelho, quando matou um animal inocente tirando sua pele para cobrir a nudez de Adão e Eva. Temos o evangelho de Abel que, ainda que morto, fala até hoje. Ele pregou o evangelho ao apresentar um sacrifício de sangue que foi aceito por Deus, o contrário daquele ofertado por seu irmão Caim, sacrifício este que não era aceitável, porque se tratava do fruto de suas obras, do seu próprio esforço. Aquele que não crê no evangelho anda nos caminhos de Caim, tem a mesma reação que ele, porque deseja apresentar a Deus aquilo que produz, os frutos da terra. Caim ficou enciumado quando viu Deus aceitar o sacrifício de um animal, que na realidade, mostrava a substituição de Cristo.
Você pode ir mais adiante, e notar um outro evangelho, o de Noé, aquele que foi o pregoeiro da justiça e que pregou durante todo o tempo em que construía aquela arca, avisando as pessoas que Deus iria mandar um juízo sobre a terra. Havia um meio de salvação, a arca, e ela representa Cristo, que deveria passar por sobre todo juízo. Temos também o evangelho de Moisés, quando ele, dirigido por Deus, ordenou que os israelitas matassem um animal para cada família e que passassem seu sangue na porta da casa e ficassem ali dentro, assim, quando viesse o anjo do Senhor e este passasse para matar os primogênitos do Egito, ao ver o sangue, não entraria naquela casa, salvando assim, o primogênito daquela família. Esse é um evangelho também, porque encontramos outra vez o sacrifício cruento, substituindo o pecador do juízo.
Ao longo da Bíblia, encontramos vários evangelhos, incluindo aí o de Isaías. No capítulo 55:1 deste livro, embora, no capitulo 53 já seja mencionado o Messias que viria na forma de uma ovelha muda, levando sobre si os pecados daqueles que ele iria salvar, lemos: “Ó VÓS, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai, e comei; sim, vinde, comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite. Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura. Inclinai os vossos ouvidos, e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá; porque convosco farei uma aliança perpétua, dando-vos as firmes beneficências de Davi. Eis que eu o dei por testemunha aos povos, como líder e governador dos povos. Eis que chamarás a uma nação que não conheces, e uma nação que nunca te conheceu correrá para ti, por amor do Senhor teu Deus, e do Santo de Israel; porque ele te glorificou. Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar. Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos. Porque, assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei. Porque com alegria saireis, e em paz sereis guiados; os montes e os outeiros romperão em cântico diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas. Em lugar do espinheiro crescerá a faia, e em lugar da sarça crescerá a murta; o que será para o Senhor por nome, e por sinal eterno, que nunca se apagará

”.

Lembremos, porém, que o livro de Isaías, que faz parte do Antigo Testamento, não tem nenhuma revelação acerca da época atual, a época da igreja, a época da Graça de Deus, quando o Evangelho da graça tem sido pregado. Mas uma coisa devemos entender, em todas as eras, Deus sempre salvou e sempre salvará por graça, isso não muda! No Jardim do Éden foi por graça que Deus matou um animal para cobrir os corpos de Adão e Eva da sua nudez, foi por graça que Deus aceitou o sacrifício de Abel, foi por graça que Deus pegou uma família e a colocou naquela arca, foi por graça que Deus tirou os israelitas do Egito, e não por algum merecimento. Nunca haverá merecimento da parte do homem, embora em muitas passagens do Antigo Testamento vemos o evangelho sendo pregado em conexão com Israel, que é o povo terreno de Deus.
Mas aqui nestes versículos lidos, ele abre um leque, ao incluir também os gentios na mensagem. Quem são esses que tem sede? Quando conversamos com outras pessoas, uma coisa que podemos identificar é que muitas delas, como todo ser humano, tem sede. As pessoas estão sempre insatisfeitas. Qual é a razão dessa insatisfação? Simples: o pecado que separou o homem de Deus e o deixa num estado de deserto. Nada pode satisfazer a sede de sua alma, porque o homem é espírito, alma e corpo. Na Bíblia, sempre que nos deparamos com as três divisões do ser humano, começa sempre pelo espírito. Não se fala corpo, alma e espírito, mas, espírito, alma e corpo. O espírito é a parte mais elevada do ser humano, aquela que pode ter comunhão com Deus. Porém o homem, por causa do pecado, ficou sedento. Quando encontramos em João 4, a mulher samaritana, que vai tirar água do poço, o Senhor diz a ela que ele tinha uma água e que do seu ventre jorraria água viva, uma água que tiraria a sede do seu espírito.
Quando se envia uma sonda a outros planetas, a primeira coisa que os pesquisadores desejam encontrar é água, mesmo na lua, por exemplo, é água também o que eles procuram quando pesquisam no fundo de uma cratera. Ter água é a única maneira de existir a possibilidade de vida. Somos 80% de água! Na Bíblia, a água é claramente também uma figura da limpeza. Quando o Senhor Jesus morreu na cruz, ou seja, depois de morto, um soldado furou o seu lado com uma lança e dali saiu sangue e água. O sangue da expiação e a água da purificação. Todo pecador tem que passar por esse sangue, por essa água de Cristo para poder ser salvo. Cristo é aquele que oferece essa água a “Vós que tende sede”.
Quando o homem natural não sente sede, ele tem um problema e deve ir ao médico, caso contrário irá desidratar, porque ele não vai lembrar de beber água, e é possível até que morra. Quando uma pessoa está tão estressada com a vida nesta terra e não entende das coisas eternas e espirituais, ela tem um problema muito grave. Eu acredito que o pior bandido, aquele que se diz autosuficiente, que não precisa de Deus, quando põe a cabeça no travesseiro é igual a todo o mundo, terá aqueles momentos de calafrio, quando perceber que a sua vida está terminando e que a morte irá encontrá-lo um dia. Então ele vai ter sede.
No livro de Isaías, há um convite de Deus: “Vós todos os que tendes sede vinde”. E as águas, certamente não são as naturais, como o Senhor Jesus falou àquela mulher na beira do poço em Samaria. Nós precisamos de água para a vida que recebemos de Deus, a água que vem de Deus.
O Senhor Jesus falou para Nicodemos, um dos principais dos judeus, “se você não nascer da água e do espírito, não verá o reino de Deus”. Essa não é a água do batismo, mas era a mesma água que se fala em Efésios, capítulo 5, quando vemos o Senhor Jesus falar do homem e da mulher simbolizando Cristo e a Igreja, esta é lavada com água pura pela palavra de Deus. A água, na realidade, que chega até nós, é a palavra de Deus. Quando abrimos essa palavra, ela é a água que mata nossa sede, é a única água que pode nos satisfazer.
A salvação começa pela água, como diz nosso versículo. Deus vem, apresenta a Sua palavra ao pecador perdido e por uma ação do Espírito Santo e da palavra de Deus que tem esse poder – porque a palavra de Deus é viva – Deus incute vida ao pecador e este sente o peso dos seus pecados, e pode clamar por salvação a Deus, pode dizer “desventurado homem que sou, quem me livrará do corpo desta morte?” como Paulo escreve em Romanos 7. Deus vem com a água, com a Sua Palavra.
Outro dia coloquei um pensamento no Facebook que escutei numa gravação de um pregador, que dizia que se você duvida que a palavra de Deus seja viva, experimente abrir uma Bíblia no avião. Você logo verá como isso vai incomodar muitos dos passageiros a sua volta. E houve na postagem, uma pessoa que começou a debater dizendo que a Bíblia não é tudo isso, que Deus está na natureza, que Deus está nas montanhas, enfim. Logo vi que se tratava de um cético que não crê no poder da palavra de Deus, então eu respondi que ele acabara de confirmar o pensamento, ou seja, abrir a Bíblia faz as pessoas se sentirem incomodadas, porque ela é viva! E incomoda, porque ela é como “espada de dois gumes que penetra até a alma, divide, e traz à tona todas as intenções e propósitos do coração do homem”. A Bíblia é como um grande bisturi que abre o ser humano e expoe o pecador: veja o que você é, um pecador perdido e sem saída, se não se converter a Cristo Jesus.
A salvação começa pela água, que é a graça de Deus!
Hoje, um irmão no Facebook postou um vídeo que era uma resposta para uma pergunta: Será que podemos perder a salvação? No vídeo eu falo que nunca, jamais, de maneira nenhuma! Porque a salvação sequer depende de nós, ela é uma dádiva de Deus. Sempre há pessoas que vão comentar alguma coisa, inclusive há um leitor, que se diz protestante, que afirma serem estas as palavras do diabo, que se deve queimar todos esses vídeos – mesmo eu não sabendo como se consegue queimar vídeo no YouTube – que a salvação não depende só de Deus, ele acredita que devemos nos esforçar para sermos salvo, ou seja, eu e Deus somos responsáveis pela minha salvação! Isso diz ele. Veja aí presente, a ideia do homem! Quando Deus aponta que o homem é extremamente perdido, alguém sempre vai considerar que existe em si mesmo uma partícula, um ato de bondade ou de capacidade de se salvar. Mas o que fala esse versículo? “Sem dinheiro vinde as águas os que não tem dinheiro” e são esses que Deus procura, os que não tem condições, os que não tem recursos em si mesmos, que são completamente pobres, que não podem comprar comida, não podem comprar água, não podem pagar por uma roupa, enfim, a pessoa que é totalmente dependente da boa vontade de outras pessoas. E Deus fala “vinde os que não tendes dinheiro”.
Enquanto um ser humano na sua condição de pecador, considerar que tem dinheiro, no sentido, obviamente, espiritual da palavra, ou seja, pensar que tem condições de pagar pela sua salvação seja por obras, atos de bondade, pelo seu andar de perseverança, enfim, não haverá chance de ele ser salvo, por que Deus providenciou uma salvação para quem não tem condições, é de graça. Se você distribuir alguma coisa de graça, qual a condição para a pessoa receber? Tem que ser de graça – vinde os que não tendes dinheiro! vinde comprai! Mas como assim comprai, se eu não tenho dinheiro? Porque é na verdade, uma compra feita por graça, é um apossar-se, apoderar-se. Porque quando compramos algo, nos tornamos donos. A salvação não é emprestada ao ser humano! Alguém pode pensar que não tem nada para dar a Deus, então Deus vai lhe emprestar por um tempo, e depois Ele terá de volta, ou seja, aquilo não será de verdade, da pessoa. Não é isso! “Comprai” é algo que passa a ser meu, no momento que creio em Jesus como meu Salvador, Deus me dá a salvação por graça, mas Ele dá também o título de propriedade.


Existem alguns negócios que são feitos em cartório, quando por exemplo, é preciso passar uma propriedade de uma pessoa para outra. No contrato pode constar o valor de 1 real, mas a pessoa nem precisou por a mão no bolso para pagar esse valor, ele é apenas, um preço simbólico, para fim de contrato apenas. Deus sequer 1 real pediu! Não há dinheiro, mas comprai, tome posse da sua salvação, ela é sua agora, desde que você tenha reconhecido ser incapaz, e ido a essas águas que Deus oferece, as águas da palavra de Deus e a Cristo Jesus, que é o Salvador.
Ele fala também, comei! Aqui há uma outra coisa interessante. Se por um lado, Deus está oferecendo matar a nossa sede, também está oferecendo, matar a nossa fome. Uma pessoa se sente satisfeita quando bebe e come muito bem, e tem a sua sede mitigada, sua fome saciada, ela se sente bem, se sente alegre. Ontem eu estava dando o almoço ao meu filho Pedro, e ele fez uma expressão tão gostosa na hora que terminou de comer e tomar uma limonada, que eu não resisti e peguei o celular para gravar a expressão do seu rosto, a sua alegria, porque ele sorria e eu dizia, agora vou te dar um docinho, e seu rosto brilhava pelo desejo de comer o doce. Ele estava saciado! Ele não tem entendimento algum das coisas, não tem preocupação com o amanhã, nem com o ontem, não tem do que se arrepender, mas está feliz, saciado. “Comprai sem dinheiro e sem preço”, de graça!
Nós temos um problema com coisas que são de graça, não é?! Geralmente associamos com algo que não serve, alguma coisa rejeitada. Mas quando falamos que a salvação é de graça e sem preço, sem dinheiro, e não precisamos pagar por qualquer coisa é porque o preço disso foi tão elevado que Deus viu que não haveria qualquer condição do ser humano pecador, pagar pela sua redenção, pela sua salvação, pela libertação do pecado. Foi Deus quem pagou, a fim de comprar para si um povo, que Ele resgatou das mãos de Satanás, um povo dEle, para torná-los Seus filhos, comprados pelo sangue de Jesus, que foi derramado na cruz do Calvário.
Então quando se fala que é de graça, sem preço, sem dinheiro, e que basta crer em Cristo como Salvador, não significa dizer que foi algo fácil. Na verdade, foi a obra mais difícil já feita, uma obra estranha até para Deus, que entregou seu próprio filho para morrer, não por pessoas boas, mas por inimigos, por pecadores perdidos. Tomar na cruz sobre seu corpo santo, os nossos pecados e receber ali a paga que Deus tem que dar ao pecador.
Deus é um juiz, Ele terá que julgar o pecado. Ele julgou na cruz o pecado em Cristo e todos aqueles que creem em Jesus como Salvador foram julgados juntamente com Cristo, e nele tiveram seus pecados pagos. Tiveram a justiça, e toda a ira de Deus, contra o pecado, lançadas sobre o Seu Filho na cruz e consequentemente sobre todos aqueles que creram nele, como que por procuração. Nós nunca conseguiríamos suportar a ira de Deus! O que o homem merece é a condenação eterna. Aqueles que rejeitam a Cristo, terão sim, que se encontrar com Deus no fim para receber a condenação eterna, porque rejeitaram aquele crucificado, Deus e homem, o Filho de Deus feito homem, que veio ao mundo se fazer carne para morrer por nós. Não era uma pessoa qualquer, não era um sacrifício qualquer, não podia ser um homem comum, tinha que ser um homem sem pecado. No Antigo Testamento, todos os sacrifícios que prefiguravam Cristo, eram de animais sem mancha, sem defeito, caso contrário Deus não aceitaria. E assim o cordeiro de Deus, que é Cristo, precisou vir ao mundo.
Então esse “vinde comprai e comei, sim vinde e comprai sem dinheiro e sem preço” e aqui se seguem, duas coisas interessantes. Vimos água e agora lemos, no fim do versículo, vinho e leite. Veja que interessante! Há uma passagem na Bíblia que fala que o vinho alegra o coração do homem. Sabemos de muitas doutrinas protestantes, principalmente, herdadas dos primeiros protestantes, que foram para a América do Norte e eram rigorosos em relação ao vinho, às bebidas alcoólicas, etc. Eles proibiam completamente qualquer estimulante, como o vinho. E isso foi herdado por muitas religiões protestantes. Mas jamais se parou para pensar que por exemplo, o primeiro milagre que Cristo fez neste mundo, quando ele esteve aqui como um homem, foi transformar água em vinho. Mas então, Jesus incentivou o alcoolismo? Claro que não! O vinho fazia parte da alimentação das pessoas, e ele estava numa festa de casamento! É normal que haja vinho também nas festas de casamento hoje em dia. A Bíblia fala que o vinho alegra o coração do homem. Embriagar-se, sim, é pecado, e Deus condena todo excesso. O vinho está também nas promessas feitas a Israel, quando eles herdarem a Terra no futuro. Lemos sobre vinho, alegria, suprimentos.
Mas no versículo acima, Deus fala do vinho e o do leite, este último, o primeiro alimento, a primeira nutrição que o ser humano toma. Deus nos salva e os efeitos imediatos da salvaçãosão vinho e leite, alegria e nutrição, aquele alimento básico e mais nutritivo que pode haver, o leite, que é um alimento completo. Nós sobrevivemos à base de leite nos primeiros meses de nossas vidas. Não sei exatamente até quando esse leite dura, mas a minha filha mamou por muito tempo.
Deus nos dá alegria, e suplemento.
“Porque gastar seu dinheiro naquilo que não é pão?” Outro alimento é mencionado agora. No momento em que já temos condições de nos alimentar de algo mais sólido, há o pão. E assim é a vida do cristão. Começa a receber leite, depois de convertido, mas já tem a alegria, tendo aí o simbolismo do vinho, e depois vem o pão, o alimento sólido, para o cristão conhecer mais da pessoa de Cristo. “Porque gastar dinheiro naquilo que não é pão e o produto do vosso trabalho naquilo que não deve satisfazer?” Ele está falando isso para as pessoas que tentam encher a sua vida com coisas deste mundo. – Se eu comprar um carro serei feliz! Compre para ver se é verdade! – oh, fiquei feliz sim. – Ok, espere mais um, ou dois anos, ele vai começar a enferrujar. – Sim, realmente, agora vou tentar comprar outro. Exatamente assim são as coisas do mundo. É como uma criança que para ter um brinquedo bate o pé, chora, até que você dá o brinquedo, passa um tempo, lá está o tal brinquedo deixado de lado. Por que as coisas aqui não podem nos satisfazer: o homem é espírito, alma e corpo!
Então, ainda que algo satisfaça o seu corpo, por exemplo, o alimento, o exercício físico, as distrações, ou algo alimenta sua alma, por exemplo, a cultura – uma boa música, um filme interessante alimentam nossa alma, no sentido das nossas emoções, – nos alegramos, choramos, essas coisas mexem conosco, mas e nosso espírito? A única coisa que pode alimentar o espírito humano são as coisas espirituais, são aquelas coisas que vem de Deus, porque o espírito do homem é a parte que pode ter contato e comunhão com Deus.
Porque então o versículo diz “gastais o vosso dinheiro naquilo que não é pão, que não alimenta, que vai acabar amanhã?”, que vai passar rapidamente? É como o ingresso do cinema. Uma hora e meia depois, aquela diversão acaba, ou como o carrossel no parque, deu dez voltas, acabou a felicidade do carrossel. O mundo é na verdade, um grande carrossel, pagamos ingressos aqui, voltamos ao carrossel, depois voltamos a comprar ingresso, e ficamos assim. Para onde vai alguém que está sentado num carrossel ou num chapéu mexicano? Ou numa montanha russa? É emocionante, não é? Mas você já soube de alguém que foi a algum lugar sentado na montanha russa? Claro que não, ela sai e volta para o mesmo lugar que começou. E assim são os homens, com todas as coisas deste mundo.
Por que gastais dinheiro naquilo que não é pão e o produto do vosso trabalho vosso esforço naquilo que não pode satisfazer, ouvi-me atentamente e comei o que é bom e a vossa alma se deleite com a gordura”. Inclinai os vossos ouvidos, no versículo 3 e vinde a mim, ouvi, e a vossa alma viverá porque convosco farei um concerto perpétuo, dando as firmes beneficências de Davi! Quando você ler Davi, leia Cristo. Porque Davi era uma figura de Cristo e Deus prometeu que iria estabelecer o trono de Davi eternamente. Obviamente, está falando do verdadeiro Davi, que é Cristo, daquele que é o real! Esse jamais deixará de ter a sua preeminência, porque Deus trouxe ao mundo seu próprio filho, para isso!
Mas, “inclinai os vossos ouvidos” o que significa? “Vinde a mim e ouvi, porque a fé vem pelo ouvir e o ouvir pela palavra de Deus”. A fé vem pelo ouvir, e essa capacidade de ouvir do homem vem pela palavra de Deus, porque ela tem poder, mexe com nossos ouvidos, com nosso coração, a capacidade de ouvir e escutar o que Deus tem a falar, vem através da palavra de Deus. O evangelho é o poder de Deus para todo aquele que nele crê, nos fala a carta de Paulo aos romanos. Logo, preciso ouvir o evangelho, ouvir para que minha alma viva, para que Deus faça comigo um concerto eterno, para que Ele me dê aquilo que será meu eternamente, a salvação em Cristo Jesus! Que eu terei com ele.
Mais adiante, ele fala de algumas atribuições de Cristo que estão relacionadas, principalmente ao seu governo aqui neste mundo, no Milênio, quando Cristo vier para reinar sobre Israel e sobre as nações – daqueles que hoje fazem parte da Igreja – que não é um prédio, um edifício, uma denominação, Igreja é o corpo de Cristo, o conjunto de todos os que creem nele.
Quando Cristo voltar, então ele fala, “eis que o dei, versículo 4 de Isaías 55, “como testemunha aos povos como príncipe e governador dos povos, eis que chamará uma nação que não conhece, uma nação que nunca te conheceu correrá para ti, pôr a mão do Senhor teu Deus, o santo de Israel; porque ele te glorificou”, ele fala dos gentios que seriam acrescentados aos planos de Deus, no reino milenial de Cristo.
Mas um ponto importante no Versículo 6, “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.” Por que esse aviso? Porque a porta da oportunidade pode se fechar a qualquer momento. Usamos muito essa expressão em negócios: – Existe uma janela de oportunidade agora, para eu entrar no mercado e comprar ações de uma empresa, diz-se por exemplo. E essa janela de oportunidade significa que ela se fecha, que tem que ser rápido, porque vai ser fechada a janela, assim também é com respeito a salvação: “Buscai o Senhor enquanto se pode achar”. Hoje é o dia, o tempo da salvação! “hoje haverá salvação, esse é o momento em que o Senhor se deixa achar, porque Ele a está oferecendo por graça, e no momento em que a morte nos alcançar, acabou. “Do lado que a árvore cair, ali ficará”, diz Provérbios. Morreu, acabou, perdeu a chance, por que não aproveitou? E pode também acontecer de a pessoa não morrer, pode ser que haja um derrame cerebral, por exemplo e a pessoa perde completamente a consciência, ficará vegetando mais alguns meses ou anos, sem capacidade de crer naquela mensagem que Deus mandou, que é a de que Cristo morreu na cruz para levar os nossos pecados.
Mais uma uma coisa que é dita no versículo 8: “porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor, porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos que os vossos caminhos e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos”. Em outras palavras, significa dizer que qualquer ideia que eu tenha de como receber a salvação, vai estar errada, porque a ideia é minha. É por isso que os homens rejeitam tanto a salvação por graça, porque ela não faz sentido na sabedoria humana, nada neste mundo é de graça, sempre achamos que temos que pagar por algo, mas nas coisas de Deus é diferente, Ele está dando por graça o bem maior que um ser humano pode receber: Cristo! O maior bem! Porque em Cristo estão escondidos todos os segredos, todos os mistérios, nele temos todas as bençãos espirituais nos lugares celestiais, reservadas para nós, para aqueles que creem em Cristo.
E continua dizendo, no versículo 10 “porque assim como descem a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra e a faz produzir e brotar e dar semente ao semeador e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca, ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.” Isso aqui tem dois gumes. A palavra que saiu da boca de Deus está sendo lida aqui nesta hora, e todos estão escutando, não a minha palavra é claro, porque eu estou lendo a Bíblia, que é a palavra de Deus. Ela não “contém” a palavra de Deus como alguns pensam, a Bíblia “É” a palavra de Deus e quando Deus fala, uma coisa é certa, ela não volta vazia, não bate e volta, não há a possiblidade de não surtir efeito. Nunca!
Mas, é uma espada de dois gumes, porque a mesma palavra que pode salvar o pecador perdido que crê em Jesus como seu Salvador e se arrepende dos seus pecados quando se reconhece pecador, necessitado de um Salvador, que o salva neste momento, porque começa pelo ouvir “quem ouve a minha palavra, o Senhor Jesus falou, “e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em condenação” ou julgamento “mas passou da morte para a vida.” Essa é a bendita promessa que Deus faz, bendita certeza daqueles que já ouviram e creram e tem a vida eterna – ou seja, essa mesma palavra que causa esse efeito no coração daquele que crê em Jesus, é a mesma palavra que irá condenar aqueles que não creem nele.
Então, ela não volta vazia de maneira nenhuma! Quando uma pessoa escuta a palavra de Deus, o evangelho da salvação e crê, ela é salva imediatamente, tão salva como um crente com cem anos de convertido. Talvez este último tenha mais experiência, mais conhecimento da Palavra de Deus, mais comunhão com o Senhor, mas não importa, a salvação já é perfeita para os dois! Ambos já estão dotados de um novo homem e já são nova criação, não importa quanto tempo eles tem de convertidos. Essa mesma palavra, para aqueles que não creem em Cristo, é um instrumento de condenação. É como o que acontece com os medicamentos, você aplica na pessoa que está doente e ela é salva, mas se aplica o mesmo medicamento em alguém que não está doente, isso pode matar a pessoa, porque não era o caso de precisar de remédio. Uma pessoa que se reconhece doente, necessitada de salvação, de perdão, essa palavra irá salvá-la. O Evangelho da Salvação, “crê no Senhor Jesus Cristo e será salvo” Já, uma pessoa que não se reconhece doente, que não se reconhece necessitada, que não aceita esse remédio que Deus deu, esse irá matá-la, irá condená-la. Note, é a mesma palavra que irá condenar a pessoa no final.
Se alguém aqui ainda não tem essa salvação, que efeito está tendo essa palavra no seu coração, que efeito salvador? Você crê em Jesus como seu Salvador? Ninguém vai falar para você vir a frente, levantar a mão, fazer qualquer curso de batismo, nada disso, é aí mesmo onde você está, basta crer em Cristo como seu Salvador e se não crer, nada mais pode lhe salvar, porque essa é a promessa de Deus.
O fim do evangelho de Isaías termina também com uma promessa: “o que será para o Senhor por nome, por sinal eterno que nunca se apagará”, embora isso aqui esteja falando das promessas feitas a Israel, há uma contrapartida para o que crê em Cristo, nos Evangelhos, quando o Senhor Jesus fala “as minhas ovelhas ouvem a minha voz e elas me seguem, eu lhes dou a vida eterna e jamais perecerão”. Nunca perecerão, e ninguém as pode arrebatar das minhas mãos, das mãos do meu Pai. Ninguém pode arrebatar a salvação que você recebe, no momento em que crer em Jesus como seu Salvador, ela é eterna, é perfeita e imutável. Jamais lhe será tirada!